Cidade tem queda em índices de criminalidade, segundo SSP

Os sete primeiros meses deste ano tiveram menor índice de criminalidade que o mesmo período de 2016, conforme aponta levantamento da SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo). Dos 12 itens confrontados, sete tiveram redução significativa, dois se mantiveram estáveis e outros três tiveram ligeira alta. “Ter nú- meros significativos mostra que nosso trabalho está no caminho certo, porém, não podemos parar por aqui”, afirmou o comandante do 10´ BPMI (Batalhão de Polícia Militar do Interior), coronel PM Willians de Cerqueira Leite Martins. De acordo com a SSP, o número de roubos em que a vítima vive situação de risco diminuiu 9,8%, saindo de 845 casos em 2016 para 762 este ano. Os furtos também foram menores em 7,7%, caindo de 2.425 para 2.239. A queda também foi registrada para roubo de veículo em 25%, saindo de 260 para 195. “Nós estamos sempre remodelando as nossas ações com o foco na captura de procurados, recolhimento de armas de fogo e aprimorando os atendimentos do disque denúncia. Além disso, o trabalho integrado entre as forças policiais colaboram para que estas ações dêem certo”, completou o coronel. O levantamento mostra também que os índices de tentativa de homicídio, bem como os de homicídios dolosos, caíram, respectivamente, 26% e 15,3%. “Com menos armas e procurados nas ruas, a tendência é que menos crimes aconteçam. Mas além disso, o combate ao tráfico e a prevenção da violência doméstica impactam de forma positiva para que este tipo de crime não aconteça”, ponderou o comandante do 10º BPMI. O número de furto de veículos cresceu 18% conforme o levantamento da SSP. Em 2016 foram 742 ocorrências no período e, neste ano, foram 876. “Neste caso, além da atuação policial, é importante que os motoristas prestem atenção onde vão estacionar, não deixem os carros em locais suspeitos ou que deixem o automóvel vulnerável, prestar atenção em atitudes suspeitas, etc. Quem quiser colaborar com a polícia pode ligar para o disque denúncia 181 e em casos de emergência ligar 190”, finalizou.

FONTE: JORNAL DE PIRACICABA 22/08/17